Ultrassom: conceito, com doppler, tipos. Pra gravidez, na gravidez.

Conhecendo mais sobre o exame REED (esôfago, estômago e duodeno)
18 de julho de 2019
Exibir tudo

Ultrassom: conceito, com doppler, tipos. Pra gravidez, na gravidez.

Investigação interna do corpo. As facilidades e benefícios do ultrassom.

A ultrassonografia – ou ecografia – é uma técnica da medicina de diagnóstico por imagem que utiliza ecos gerados por ondas ultrassônicas de alta frequência, que atravessam os órgãos, possibilitando a visualização de suas estruturas em tempo real. Trata-se de um exame da radiologia, denominado ultrassom.

O ultrassom, ou ecografia, é um exame de imagem, realizado por um transdutor – aquele aparelhinho que o médico encosta na pele da pessoa – que emite e capta ondas sonoras (ultrassônica) por meio do contato com o corpo humano.

A ultrassonografia com Doppler, também chamado de ecografia com doppler ou ecodoppler colorido, é um tipo de ultrassom que permite com que as cores sejam mostradas na imagem digital, destacando o sentido e velocidade do fluxo sanguíneo, oxigênio e batidas cardíacas.

Com base nas avaliações feitas em pacientes, imagens são formadas e investigadas por um médico, que emitirá laudo em relação ao visualizado.

Prático, acessível, sem emissão de radiação, de baixo custo, em sua maioria sem proporcionar qualquer efeito colateral, o exame de ultrassom é amplamente utilizado no diagnóstico e acompanhamento (preventivo ou mesmo corretivo) de uma série de condições, presentes em órgãos, estruturas e locais, como, por exemplo:

Abdome superior, inferior e total: fígado, vesícula biliar e vias biliares, pâncreas, rins e adrenais, baço, grandes vasos, cavidade peritoneal e retroperitônio do abdome superior e seios costofrênicos, seios costofrênicos, tubo digestivo, cavidade pélvica e bexiga;

Articulações: ombro, cotovelo, punho, quadril, joelho e tornozelo.

Bolsas testiculares: testículos, dos epidídimos, dos cordões espermáticos, da parede das bolsas testiculares e das cavidades testiculares.

Cervical: glândulas cervicais (tireoide, paratireoides e glândulas submandibulares), dos linfonodos e dos demais tecidos cervicais.

Ecocardiografia: coração (paredes, valvas e cavidades), dos vasos relacionados e adjacentes ao coração (artéria aorta, artéria pulmonar, veias cavas e veias pulmonares) e do espaço adjacente ao coração.

Ecocardiografia fetal: coração fetal (paredes, valvas e cavidades), dos vasos relacionados e adjacentes ao coração (artéria aorta, artéria pulmonar, veias cavas e veias pulmonares) e do espaço adjacente ao coração.

Glândulas salivares: glândulas salivares, notadamente as parótidas e submandibulares, e, excepcionalmente, as sublinguais.

Mamas: glândulas mamárias, dos linfonodos relacionados a elas, dos cavos axilares e da epiderme mamária.

Morfológico fetal: há dois tipos de exames morfológicos fetais:

  • do primeiro trimestre, realizado entre 12 e 14 semanas, preferencialmente mais próximo de 14 semanas. Tem como objetivo avaliar a anatomia e a fisiologia fetal (diagnóstico precoce de malformações), os marcadores de anomalias cromossômicas (translucência nucal, osso nasal, etc.), os fluxos sanguíneos fetais (ducto venoso, valva tricúspide e artérias umbilicais), os anexos fetais (cordão umbilical, saco amniótico e placenta), e realizar o rastreamento de risco para parto prematuro, para perda gestacional e para doença hipertensiva materna (colo uterino e artérias uterinas);
  • do segundo trimestre, realizado entre 20 e 24 semanas, preferencialmente mais próximo de 24 semanas. Tem como objetivo avaliar detalhadamente a anatomia e a fisiologia fetal, para o diagnóstico das malformações. Também avalia o crescimento fetal e os anexos fetais (cordão umbilical, saco amniótico e placenta) e realiza o rastreamento de risco para restrição do crescimento fetal, para parto prematuro, para doença hipertensiva materna e para perda gestacional (fluxos sanguíneos fetais e uterinos, colo uterino e placentação).

Obstétrico: realizado nos três trimestres da gravidez. Data a gravidez, aferi o crescimento fetal, avalia os aspectos básicos da anatomia e da fisiologia fetal, assim como os anexos fetais (cordão umbilical, saco amniótico e placenta).

  • no primeiro trimestre, é importante para datar a gravidez e para diagnosticar os casos de aborto, de gravidez ectópica, de doença trofoblástica gestacional e para diagnóstico ginecológico e pélvico.
  • nos outros dois trimestres, é importante para o diagnóstico das malformações maiores, para detectar os desvios do crescimento fetal (pequeno ou grande para a idade gestacional), para avaliar a vitalidade fetal e para avaliar as alterações dos anexos fetais (cordão umbilical, saco amniótico e placenta).

Obstétrico com doppler: realizado no final do segundo trimestre e durante o terceiro trimestre, entre 26 e 42 semanas. Diagnostica as malformações maiores, para detectar os desvios do crescimento fetal (pequeno ou grande para a idade gestacional), para avaliar a vitalidade fetal e para avaliar as alterações dos anexos fetais (cordão umbilical, saco amniótico e placenta).

Oftalmológico: globo ocular (câmara anterior, câmara posterior, cristalino, retina, coroide, nervo óptico, parede ocular, etc.), da cavidade orbitária, dos anexos oculares e da parede orbitária.

Ortopédico: articulações, músculos, tendões e as partes moles do sistema locomotor.

Parede abdominal: parede abdominal.

Pele: pele (epiderme, derme, tecido subcutâneo e anexos) com aplicações em várias especialidades médicas.

Pélvica via abdominal: aparelho genital feminino (vagina, útero, tubas uterinas, ovários e ligamentos), bem como as doenças dos órgãos adjacentes (uretra, bexiga, ureter inferior, intestino, cavidade pélvica, etc.).

Prostática: próstata, vesículas seminais e ampolas dos deferentes, uretra, bexiga, ureter inferior, entre outros.

Tireoide: tireoide e dos tecidos adjacentes à glândula, notadamente os linfonodos.

Transfontanelar: cérebro e seus anexos, no recém-nascido e no primeiro ano de vida, ou enquanto as fontanelas estiverem abertas.

Transretal: Existem duas aplicações básicas do exame transretal:

  • Sistema digestório: tem como objetivo avaliar as doenças do reto, do ânus, do diafragma pélvico e dos tecidos adjacentes.
  • Sistema urinário e sistema reprodutor: tem como objetivo avaliar as doenças dos órgãos internos do aparelho genital masculino (próstata, vesículas seminais e ampolas dos deferentes), bem como as doenças dos órgãos adjacentes (uretra, bexiga, ureter inferior, etc.). Alternativamente, tem como objetivo avaliar as doenças dos órgãos internos do aparelho genital feminino.

Transvaginal: órgãos internos do aparelho genital feminino (vagina, útero, tubas uterinas, ovários e ligamentos), bem como as doenças dos órgãos adjacentes (uretra, bexiga, ureter inferior, intestino, cavidade pélvica, etc.).

Vascular: doenças vasculares arteriais e venosas, com alcance aos vasos sanguíneos internos e externos.

Vias urinárias: doenças do sistema urinário (masculino ou feminino), estudando os rins, as vias urinárias e os tecidos e órgãos adjacentes.

Como podemos ver, a ultrassonografia é ampla, abraçando um leque extenso de exames. Não apenas, atende uma enorme extensão de pacientes, sendo baixas as limitações técnicas. Pode ser realizado a título de prevenção e mesmo correção.

A Davi Rezende tem dentre as suas principais especialidades a ultrassonografia, atendendo extenso leque de exame, não se limitando aos aqui relatados.

Para mais informações acesse https://www.davirezende.com/especialidades/, e/ou ligue, envie whatsapp para (31)2538-9300.

Davi Rezende

Agendamento, Dúvidas?